Bem-vindo ao único site em português especializado em manutenção de motores aeronáuticos

eaglesgate.com

Uma janela portuguesa para o mundo!

Na www desde 1 de Dezembro de 1999

Última

actualização

08 Out 2010


Se pretende saber mais sobre a indústria espanhola de motores aeronáuticos, leia esta página.

Visite a nossa galeria de fotos de motores aeronáuticos.

 

INDÚSTRIA ESPANHOLA DE MOTORES AERONÁUTICOS

 

   

 

Topo desta página             HOME             Fim desta página

 

A indústria espanhola de motores aeronáuticos é dominada pela ITP - Indústria de Turbopropulsores e pela IBÉRIA - Linhas Aéreas. A primeira dedica-se à manutenção, concepção e fabricação de componentes de motores aeronáuticos. A segunda dedica-se, exclusivamente à manutenção de motores.

A ITP foi criada em 1989 a partir da transformação em entidade autónoma a partir de instalações governamentais que realizavam a manutenção de motores para as Forças Armadas espanholas. Actualmente emprega cerca de 1,000 trabalhadores, 1/3 dos quais nas suas instalações de Ajalvir, onde realiza a manutenção de motores.

As suas instalações de Ajalvir ocupam uma área de cerca de 18,500 m2 e reparam os seguintes motores:

Honeywell TPE331

Rolls-Royce (anteriormente Allison Engine Company) 250

Pratt & Whitney Canada PT6T-3

General Electric F404

General Electric CT7

SNECMA ATAR 09C

SNECMA ATAR 9K50

SNECMA (anteriormente Turbomeca) Makila

Actualmente cerca de 75% do negócio é constituído por motores militares, no entanto, a estratégia da empresa aponta para uma redução deste número, devendo incrementar o volume de trabalho para o mercado civil. Em 1997 intervencionou cerca de 216 motores de todos os tipos e reparou milhares de componentes.

O sector de motores aeronáuticos espanhol registou durante o ano 2000 bons resultados e aderiu ao amplo movimento estratégico de consolidação de actividades e parcerias. A empresa líder neste sector é a ITP, caracterizada por um volume de vendas de 72% no sector da fabricação aeronáutica (49% na aeronáutica civil e 23% na aeronáutica militar) e 28% no sector da manutenção. Embora a manutenção apenas represente 28% do total, registou um aumento de 48% no último ano.

A sua actividade fulcral tem sido o desenvolvimento de componentes para o motor EJ200 que equipa a aeronave militar de caça Eurofighter. De entre os mais recentes programas, destaca-se o seu envolvimento na produção do novo motor TP400 para a aeronave de transporte militar A400M. Relativamente a este último programa, a ITP está já a construir um banco de ensaios do motor TP400 nas suas instalações em Ajalvir (nos arredores de Madrid).

O motor EJ200 entrou em produção em 1999. Em Dezembro desse ano a ITP estabeleceu um acordo com a Rolls-Royce para a fabricação em Espanha de componentes do motor, com um volume correspondente à sua quota de aquisição, em consequência das contrapartidas obtidas após a aquisição pela estado espanhol de motores da Rolls-Royce, ao abrigo do programa Harrier II Plus.

Depois de concluir 10 anos de autonomia, a ITP iniciou um segundo ciclo da sua existência, em que projecta atingir dentro de 5 anos o estatuto equivalente à sua integração no grupo secundário dos fabricantes europeus de motores aeronáuticos a par da MTU, Fiat Avio e Volvo.

Com um investimento actual em I&D de cerca de 25% das suas vendas, superando a média europeia para o sector aeroespacial de 16%, a ITP não considera interessante o desenvolvimento de motores completos. Pelo contrário, a sua estratégia assenta no desenvolvimento de áreas sectoriais de excelência.

De entre os programas tecnológicos em curso e em que decidiu participar, destacam-se as tubeiras de escape de geometria variável (tubeiras vectorizadas) para utilização militar (onde também participa a empresa espanhola SENER) e o desenvolvimento de sistemas de controlo do motor. Em complemento ao desenvolvimento de tubeiras de escape vectorizadas, a ITP trabalha actualmente no desenvolvimento de sistemas de dissimulação de radiação infra-vermelha das tubeiras de escape instaladas em motores.

Igualmente de grande interesse para a ITP constitui a sua integração no programa germano-americano denominado "Vector", com o objectivo de desenvolvimento de plataformas aeronáuticas introduzindo a tecnologia de vectorização, relativamente ao qual, o desenvolvimento da tubeira vectorizada para uma versão do motor EJ200 poderá mostrar-se de grande relevância para o consórcio EUROJET em que se insere.

Outra área tecnológica em que a ITP tem apostado, constitui a concepção e desenvolvimento de turbinas de baixa pressão para o mercado civil. Nesta área já participou no desenvolvimento das turbinas de baixa pressão para os motores AS900 da Honeywell e Trent 500 da Rolls-Royce, participando, actualmente, no programa ANTLE (novos motores civis de reduzida emissão de gases contaminantes).

Na área da manutenção de motores aeronáuticos, em expansão, é objectivo da ITP constituir um grupo industrial de referência, com a participação de empresas espanholas , portuguesas e sul-americanas, através da aquisição, parceria ou a constituição de novas empresas e eventualmente com os grandes fabricantes internacionais do sector. É neste sentido que a ITP está a avaliar a possibilidade de aquisição da divisão de manutenção de motores da empresa portuguesa OGMA, SA.

Em Espanha está eminente a privatização pela SEPI (holding espanhola que detém a maioria do capital nas empresas ligadas à Defesa) da companhia de aviação IBÉRIA, cuja divisão de manutenção, com cerca de 630 trabalhadores, realiza a revisão e reparação de motores civis assim como os motores militares operados pelas Forças Armadas espanholas Mk152, F-408 e JT-15 instalados nos AV-8B, Harrier II Plus e Cessna Citation da Marinha e presta a manutenção e actualização dos bancos de ensaio de motores instalados na base de Rota.

Através da privatização desta área de manutenção da IBÉRIA e a sua posterior transformação numa área de negócio, poderá viabilizar a formação de uma nova empresa com a participação da própria IBÉRIA, ITP e uma empresa estrangeira.

Na área da manutenção de equipamento militar, a ITP renovou recentemente um contrato de 10 anos com a RAF para a manutenção dos motores TPE331 que equipam a suas aeronaves de treino Tucano.

Ainda em Espanha, a empresa SETROSON, está a desenvolver e produzir um banco de ensaios de motores TFE731-5 para instalação na Jordânia.

No que respeita às perspectivas de internacionalização, a ITP estabeleceu uma nova empresa sedeada no México, denominada ITR - Indústria de Turborreactores, em igualdade de participação com um grupo empresarial local denominado Cintra Group que engloba várias companhias de aviação locais, nomeadamente, a Mexicana, a Aeroméxico, a Aerolitoral e a Aerocaribe. Esta joint-venture tem por objectivo realizar a manutenção dos motores operados pelos transportadores mexicanos, do tipo JT8D da Pratt & Whitney (operados pela Aeromexico e pela Mexicana) e pelos TPE331 da Honeywell (operados pela Aerolitoral). Esta nova joint-venture possui uma capacidade para cerca de 300 motores por ano.

Para além de poder capitalizar a carga de trabalho oriunda da América do Sul e Central, esta joint-venture potencia a penetração no mercado norte-americano. Por essa razão, a ITP adquiriu recentemente uma empresa americana de distribuição de componentes denominada AMTEC e sedeada em Miami. Esta movimentação, confirma uma estratégia de conquista e penetração do mercado de manutenção americano evidenciada pela ITP.

RELAÇÃO ENTRE AS EMPRESAS ESPANHOLAS ASSOCIADAS À ACTIVIDADE DE MOTORES AERONÁUTICOS


 Ler o Livro de Visitas    Assinar o Livro de Visitas    Preencher Inquérito

A opinião dos visitantes    Regressar ao topo desta página

Gestor da web page    HOME    E-mail