Bem-vindo ao único site em português especializado em manutenção de motores aeronáuticos

eaglesgate.com

Uma janela portuguesa para o mundo!

Na www desde 1 de Dezembro de 1999

Última

actualização

08 Out 2010


ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

Prossiga através das várias e complexas etapas da manutenção e aprecie a elevada especialização necessária para manter as aeronaves nas máximas condições de segurança ao custo mínimo

 

 INSPECÇÃO VISUAL REMOTA

 

Topo desta página              HOME            Fim desta página          Outros END

 

A inspecção visual remota (IVR) é um tipo de inspecção visual indirecta dos componentes a observar, utilizada quando estes se apresentam inacessíveis à observação directa. Trata-se de uma técnica de endoscopia.

A sua utilização incide sobre componentes instalados em conjuntos superiores ou em motores em que não se justifica a sua desmontagem ou remoção. Através de furos existentes para alojamento de alguns componentes ou acessórios ou através de furações "cegas" especialmente concebidas para este tipo de inspecção, é possível a observação interior dos motores, ainda que limitada à sua configuração e geometria internas. Procedendo regularmente a estas inspecções e acompanhando a evolução de eventuais anomalias é possível verificar-se se uma destas se apresenta estável ou se, pelo contrário, se encontra em degradação e medir o grau e a severidade dessa degradação, para tomada duma decisão técnica posterior.

A IVR pode efectuar-se através da utilização de um simples espelho com hastes extensíveis e articuladas ou através de sistemas tipo periscópio (designados por boroscópios do inglês "borescopes") ou através de equipamentos mais sofisticados munidos de fibra óptica (designados por fibroscópios do inglês "fiberscopes") ou de microcameras de video de controlo remoto (designados por videoscópios do inglês "videoscopes").

Estes equipamentos apresentam-se segundo diferentes configurações envolvendo tecnologias distintas. Começaram por ser rígidos, através de tubos de pequeno diâmetro (da ordem dos 8 mm) e de cerca de 1 m de comprimento até apresentarem as extremidades flexíveis. Actualmente estes dispositivos apresentam-se completamente flexíveis. A sua principal característica é usarem um feixe estreito de luz através duma fibra óptica que é conduzido desde a superfície a avaliar até ao olho do observador ou digitalmente.

Os recentes desenvolvimentos da miniaturização permitem a instalação de microcameras de video nas extremidades destas hastes que se apresentam completamente flexíveis.

Em complemento ao dispositivo visual e integrado na mesma unidade estão os comandos para posicionamento da extremidade, cujo controlo é realizado por um "joystick" a partir do ponto de observação.

Outra característica é a possibilidade da imagem visual poder ser apresentada num monitor de video (possível de ser observada por vários inspectores em simultâneo) e ser gravada. Esta última capacidade é extremamente importante, na medida em que permite o envio das cassetes com as imagens recolhidas ou destas através de correio electrónico para os operadores, para centros de avaliação de maior competência ou para as bases de manutenção.

A última novidade associada aos videoscópios é a possibilidade de observação tridimensional que permitem em medir remotamente as dimensões dos defeitos detectados. O uso da tecnologia video permite ainda a comparação em tempo real de imagens gravadas (por exemplo a última imagem do defeito em avaliação) com a imagem actual e avaliar-se a evolução registada.


 Ler o Livro de Visitas    Assinar o Livro de Visitas    Preencher Inquérito

A opinião dos visitantes    Regressar ao topo desta página

Gestor da web page    HOME    E-mail