Bem-vindo ao único site em português especializado em manutenção de motores aeronáuticos

eaglesgate.com

Uma janela portuguesa para o mundo!

Na www desde 1 de Dezembro de 1999

Última

actualização

14 Out 2010


ETAPAS     DA     MANUTENÇÃO

Mapa das Etapas

Prossiga através das várias e complexas etapas da manutenção e aprecie a elevada especialização necessária para manter as aeronaves nas máximas condições de segurança ao custo mínimo

 

TRANSPORTE

(A 3ª de 30 importantes etapas)

O transporte consiste no envio do(s) motor(es) para reparação na oficina especializada, dando origem ao início do contrato

 

Topo desta página    Fim desta página       HOME     Etapa Anterior      Próxima Etapa

 

Uma vez acordadas as condições de realização do trabalho de manutenção dos motores da empresa contratante, há que proceder ao seu envio do local onde estão depositados até às instalações da empresa reparadora, onde serão submetidos a acções de manutenção.

A aviação comercial é extremamente sensível aos custos e prazos que envolvem estas operações logísticas. A distância que separa os pontos de expedição e recepção dos motores é muito importante no custo dessa operação e no prazo de entrega, e pode ser determinante na selecção do reparador.

Normalmente, os motores são transportados por camião desde o seu ponto de expedição até ao centro reparador, no pressuposto de operações realizadas na Europa ou em Portugal. No caso de motores oriundos dos EUA, Brasil, África ou do Oriente, essas operações implicam que pelo menos um dos troços da viagem de realize de avião ou por navio (raramente utilizado devido ao longo prazo de entrega). Noutros casos, quando existe essa disponibilidade ou necessidade emergente, são as próprias aeronaves que se deslocam aos centros reparadores (caso estes possuam capacidade para operações aeroportuárias) e aí os motores são removidos directamente da aeronave para a oficina.

O recurso ao transporte dos motores por via aérea justifica-se, sempre que exista grande urgência na reparação dos motores ou que a sua proveniência não permita outras alternativas. Ainda assim, a movimentação de motores por via aérea, sobretudo dos grandes motores, apresenta algumas restrições pois nem sempre os aviões regulares de passageiros e alguns cargueiros possuem compartimento de carga ou portas de acesso com volume e dimensões suficientes que permitam a movimentação desses motores.

A indústria nacional é, particularmente, desfavorecida na medida em que não sendo nenhum dos aeroportos nacionais escalado regularmente por aviões cargueiros (apenas escalam o nosso país quando especialmente fretados), obrigam a que os motores transportados por esta via sejam direccionados para aeroportos internacionais de grande tráfego de carga, como são os casos de Paris, Amestardão, Bruxelas, etc., e sejam trazidos para Portugal por via terrestre. Esta restrição implica uma dilatação do prazo de entrega (ida e volta) na ordem dos 8 dias de calendário, que será sempre agravada se se tratar de motores oriundos do continente americano.

Se pensarmos que a tendência generalizada é de reduzir tanto quanto possível os prazos de entrega para a ordem dos 30 a 45 dias de calendário, teremos de convir que acrescentar mais 8 dias, devido ao transporte, torna-se inaceitável para muitos operadores, a menos que possam existir outras vantagens compensadoras.

Estes custos envolvem todos os subcustos de frete de deslocação, de seguros, de desalfandegamento (o que é comum para a indústria nacional se a proveniência dos motores é exterior à UE) e demais taxas aduaneiras relacionadas com operações de importação e exportação (ainda que temporárias). Em termos de preço final do serviço de manutenção estes custos poderão oscilar entre os 5% e 10%.

Em muitos casos estes custos são da responsabilidade da entidade contratante, normalmente quando esta usufrui de vantagens que lhe advêm do seu tipo de operação (caso de operador aéreo que beneficia de preços mais baixos no transporte ou que tem em prática uma política de seguros mais favorável).

Noutras situações, o custo de transporte é "oferecido" pelas entidades contratadas, aquando da apresentação da sua proposta comercial. Obviamente que esta oferta é uma operação de cativação, pois correspondendo-lhe um custo este terá que ser transferido para o consumidor final. A estrutura global do preço final incluirá estes custos embora de forma não explícita. Trata-se efectivamente dum custo significativo.


 Ler o Livro de Visitas    Assinar o Livro de Visitas    Preencher Inquérito

A opinião dos visitantes    Regressar ao topo desta página

Gestor da web page    HOME    E-mail