eaglesgate.com

Manutenção de Motores

Aeronáuticos

O único site em português especializado em manutenção de motores aeronáuticos. Na www desde 1 de Dezembro de 1999

Etapas da Manutenção


Organização da Manutenção


Ensaios Não Destrutivos


Aviação Regional


Indústria Nacional


Evolução da MRO


Indústria Europeia de Motores


Futuro da Indústria Nacional


Especializações na Manutenção de Motores


Operação e Manutenção


Dinâmica dos Mercados Aeronáuticos


Autoridades Aeronáuticas


Classificação e Tipos de Motores


Características de Motores


Política de Manutenção de Motores


Nível de Intervenção em Motores


Contratos-Seguro tipo "Power by the Hour"


Fabricantes de Motores Aeronáuticos


Fabricantes de Aeronaves


Fabricantes de Componentes Aeronáuticos


Equipamentos Auxiliares de Manutenção


Reparadores de Motores Aeronáuticos


Fornecedores de Peças


Revistas e Publicações Aeronáuticas


Encomendas de Aeronaves


Tendências de Evolução


Glossário de Termos Técnicos


Evolução Histórica dos Motores


Técnicas


Inovações


Oportunidades


Noticiário


Simulação


Formação


Actualidade


Eventos


Clube Eagles Gate


Colaboração


Downloads


Destaques


Evolução da MRO


Quem Somos

Nossa Missão

HOME

SuperLinks

Livro de Visitas

E-Mail

   

Especial Paris Air Show 2001


TAP e OGMA parceiras na manutenção

A TAP e a OGMA tornaram-se parceiras no negócio da manutenção aeronáutica depois de assinarem um acordo em 19 de Junho de 2001, durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França. O acordo assinado tem a duração de 5 anos e terá início a partir de Outubro proximo.

Este acordo permitirá à TAP usufruír de mais espaço e mão-de-obra, existente na OGMA em Alverca, face às limitações existentes nas suas instalações no aeroporto da Portela e à sua actual carteira de encomendas. Por outro lado, o acordo vai permitir que a OGMA alargue o âmbito dos seus negócios e entre na actividade de manutenção da aviação civil não regional.

O acordo agora assinado permitirá gerar um volume de negócios na ordem de 4 milhões de contos e divide-se em duas fases distintas.

Durante a primeira, com a duração de um ano, a OGMA irá contribuir com o espaço e mão-de-obra enquanto que a TAP será responsável pela logística, planeamento, engenharia, controlo de qualidade e responsabilidade no estabelecimento de contratos com os clientes. Durante esta fase a OGMA deverá estabelecer capacidade própria, devendo alargar o seu quadro de pessoal em cerca de cem pessoas.

Durante a segunda fase (restantes 4 anos) a OGMA assumirá todas as restantes responsabilidades, até então a cargo da TAP, com excepção do estabelecimento dos contratos com os clientes.

Com este acordo pode perspectivar-se que a parceria agora estabelecida possa evoluír para o formato de uma nova empresa mista, resultante do aproveitamento das sinergias existentes nas duas empresas.

 Voltar 


OGMA vai fabricar novo avião militar A400M

A OGMA vai participar na construção da nova aeronave de transporte Airbus A400M, que pretende substituir o venerável avião de transporte militar C-130.

O projecto de desenvolvimento e produção desta nova aeronave será realizado em regime cooperativo pelas indústrias aeronáuticas das nações envolvidas com partilha do risco de investimento na proporção do número de aquisições assumida. Assim, a participação portuguesa através da OGMA deverá situar-se entre 1.4 e 1.7%, correspondendo a cerca de 35 milhões de contos ao longo dos proximos 15 anos a que corresponde a encomenda de 3 aeronaves.

O Memorando de Entendimento para a constituição do consórcio foi assinado a 19 de Junho de 2001 durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França.

O consórcio é formado pelo Reino Unido, França, Alemanha, Espanha, Itália, Bélgica, Luxemburgo, Turquia e Portugal. Apesar deste documento ter sido assinado pela maioria das nações envolvidas, Portugal e Itália não o subscreveram, embora por razões diferentes entre si. Portugal alegou não existir ainda autorização da Assembleia da República à proposta de Lei de Programação Militar onde se incluem as verbas de investimento. A Itália alegou que o recentemente formado novo Governo italiano ainda não conhece detalhadamente o projecto para poder tomar uma decisão definitiva. Por fim, a Alemanha embora tenha assinado o documento alegou não ter obtido as autorizações internas necessárias à assunção de um verdadeiro compromisso, tendo, no entanto, reafirmado o seu total empenhamento em prosseguir o projecto

 Voltar 


Portugal assina contrato para a aquisição de helicópteros NH90

Portugal assinou em 20 de Junho de 2001 um Memorando de Entendimento com o consórcio NH Industries ao abrigo do qual se compromete a adquirir 10 helicópteros tácticos para o Exército com a opção de mais 10 helicópteros configurados para serem embarcados em navios pela Marinha Portuguesa.

A OGMA vai participar na produção destes helicópteros através da construção de componentes nas suas instalações em Alverca. A participação portuguesa cifra-se em 1.2%.

 Voltar 


Trent 500 presente em Paris equipando o novo Airbus A340-600

Uma das novidades presentes no Salão de Paris é o novo Airbus A340-600 que é motorizado por motores Trent 500, fabricados pela Rolls-Royce.

Este protótipo voou pela primeira vez em 23 de Abril de 2001 e a certificação do motor ocorreu duas semanas antes da data prevista. O motor Trent 500 equipa também o Airbus A340-500.

Actualmente existem 12 encomendas firmes para estas aeronaves com 127 opções. Cada aeronave é equipada com 4 destes motores e o fabricante Rolls-Royce estima a produção de cerca de 3,400 motores, sendo o fornecedor dos mesmos em exclusividade.

 Voltar 


Assinado acordo para o fabrico do motor do avião A400M

Seis dos maiores fabricantes europeus de motores aeronáuticos assinaram em 20 de Junho de 2001, durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, um acordo que estabelece uma joint-venture denominada Aero Propulsion Alliance (APA). Esta nova entidade está sediada em Munique e está incumbida de desenvolver, fabricar e manter o turbopropulsor TP400 escolhido para equipar a nova aeronave de transporte militar A400M.

Este novo motor será o maior turbopropulsor jamais fabricado e conta com a participação da Rolls-Royce, MTU e SNECMA (24.8% cada uma), ITP (13.6%), FiatAvio (8%) e Techspace Aero (4%).

A Rolls-Royce em conjugação com a sua congénere Rolls-Royce Deutschland contribuirá com a sua vasta experiência na tecnologia de três veios usada nos modernos motores civis e militares enquanto a SNECMA contribuirá com a sua experiência demonstrada na concepção do núcleo central do motor M88 (que equipa o caça Rafale).

A MTU contribuirá com a sua experiência nas áreas do compressor e turbina de baixa e média pressão enquanto a ITP será responsável pelos carteres e alguns componentes externos.

A FiatAvio na sua qualidade de especialista europeu em engrenagens, será responsável pelas caixas de engrenagens, nomeadamente, pela caixa redutora enquanto a Techspace Aero será responsável pelos sistema de lubrificação.

 Voltar 


Rolls-Royce entrega o 1,000º motor AE3007 que equipa os Embraer ERJ

Após três décadas de colaboração com a Embraer, através do fornecimento dos motores Viper e Spey para as aeronaves EMB-326 e AMX, a Rolls-Royce entregou o 1,000º motor AE3007 que equipa as aeronaves ERJ-135, -140 e -145.

Em  cinco anos, após 1996, foram fabricados à cadência de cerca de 200 destes motores por ano, o que se tornou na maior linha de montagem de motores alguma vez existente após a segunda guerra mundial.

A actual carteira de encomendas destes motores ascende a cerca de 1,600 unidades.

 Voltar 


Rolls-Royce pretende aumentar a sua cota de mercado

Com uma cota actual de 25% do mercado mundial de produção de motores, a Rolls-Royce afirmou pretender aumentar essa cota para 40%, afirmando-se, assim, como o líder mundial no fabrico de motores aeronáuticos.

Este objectivo pretende ser alcançado não só com o fabrico de novos motores mas também através do apoio pós-venda. Para demonstrar o seu rápido crescimento, a Rolls-Royce realça que a antiguidade média dos seus motores instalados se cifra em cerca de 8 anos comparativamente com a da Pratt & Whitney que ronda os 18 anos.

Actualmente a actividade de pós-venda (venda de sobressalentes e manutenção) ronda os 40% do total de volume de negócios da empresa.

Um estudo recente, produzido pela Rolls-Royce, estima um mercado potencial para cerca de 100,000 novos motores a jacto e turbofan durante os proximos 20 anos.

 Voltar 


Governo francês vai avançar com a privatização parcial da SNECMA

O Governo francês planeia anunciar a privatização parcial do fabricante de motores SNECMA. Nesta fase está prevista a privatização de 20% da empresa.

Vários fabricantes de motores estão a posicionar-se para concurrerem à aquisição dessa fatia da empresa. De entre eles, considera-se que a GE está bem posicionada, uma vez que já participa numa joint-venture com a SNECMA, denominada CFM International, a qual é responsável pelo fabrico dos motores CFM56.

O actual estatuto totalmente estatal da SNECMA não a tem impedido, todavia, de adquirir outros importantes fabricantes ligados ao sector, como foram o caso da Labinal para os equipamentos aeronáuticos, a Turbomeca para os pequenos motores de helicópteros e, mais recentemente, a Hurel-Dubois que é um fabricante de nacelle de motores.

 Voltar 


Rumores acerca da eventual aquisição da MTU pela SNECMA

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, têm circulado insistentes rumores acerca de uma possível aquisição do fabricante alemão de motores aeronáuticos MTU pelo fabricante francês SNECMA.

No entanto, o presidente da MTU nega essa possibilidade, afirmando que a MTU com os seus 7,200 trabalhadores e detida a 100% pela DaimlerChrysler, goza de boa saúde financeira e detém grande competência de modo a manter-se fora da alçada de qualquer outro fabricante.

 Voltar 


IAE entrega o seu 1,000º motor V2500-A5

O consórcio International Aero Engines (IAE), formado pela Pratt & Whitney, Rolls-Royce, IHI e a MTU Aero Engines, responsável pelo desenvolvimento e fabrico da família de motores IAE V2500 entregou o seu 1,000º motor do modelo V2500-A5.

O consórcio está a planear um aumento de produção para cerca de 300 motores por ano para responder à elevada procura e à carteira de encomendas actual. Os motores V2500 são fabricados e montados nas instalações da Pratt & Whitney em Connecticut nos EUA e na Rolls-Royce em Derby no Reino Unido.

 Voltar 


GE conduz três programas de certificação em simultâneo

O fabrico de pequenos motores na GE está a representar um enorme sucesso de vendas à custa das novas aeronaves regionais até 100 passageiros. A família de motores CF34 através dos três modelos CF34-3, -8 e -10, possui uma carteira de encomendas firmes de cerca de 2,600 motores e cerca de 1,800 opções.

As aeronaves a que se destinam estes motores são os modelos CRJ100/200, 700 e 900 da Bombardier de 50, 70 e 90 passageiros, respectivamente; ERJ-170 e -190 da Embraer de 70 e 90 passageiros; e 728JET e 928JET da Fairchild-Dornier de 70 e 90 passageiros.

 Voltar 


Rolls-Royce Turbomeca seleccionada para motorizar o NH90

O consórcio Rolls-Royce Turbomeca (RTM), constituído pelos dois fabricantes, anunciou em 21 de Junho de 2001, durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, ter assinado um acordo com a Eurocopter para o fornecimento de 798 motores RTM 322-01/9 para equipar os helicópteros NH90.

Estes motores, correspondentes a 399 aeronaves, constituem o lote de 219 unidades para a Alemanha, 160 para a França e 20 para a Holanda. Itália optou por equipar os seus helicópteros NH90 com motores de fabrico General Electric. Relativamente a Portugal, pensa-se que as 10 unidades encomendadas venham motorizadas com RTM 322-01/9.

Com este acordo vai iniciar-se a produção do primeiro lote de 254 motores e a preparação do futuro apoio logístico. Os componentes dos motores serão fabricados em França e no Reino Unido e a sua montagem final será realizada na Rolls-Royce Deutschland, na Alemanha.

O motor RTM 322 entrou pela primeira vez em serviço em 1998 e desde então já foram fabricadas 300 unidades que equipam os helicópteros EH101 Mk1 e Mk3 da British Royal Navy e da RAF, e os helicópteros Apache AH Mk1 do British Army.

 Voltar 


Rolls-Royce pretende para si maior volume de manutenção

A Rolls-Royce prevê captar para si cerca de 70% do mercado mundial de manutenção, reparação e inspecção de motores fabricados por si ou em que participe, entre os anos 2005 e 2010.

Confirmando uma tendência que se tem verificado ao longo dos últimos anos, a Rolls-Royce já duplicou a sua cota de intervenção, passando de 25% para 50%, desde os meados da década de 90.

Este objectivo será alcançado quer pelas suas próprias instalações quer através das várias joint-ventures que tem estabelecido em diferentes localizações em vários continentes. Os estudos realizados apontam para que em 2005 seja necessário intervir nas oficinas em cerca de 3,000 motores fabricados pela RR e em 2010 este número ascenderá a 3,400.

 Voltar 


A indústria italiana firma acordo de produção e manutenção para o NH90

A FiatAvio e a Agusta assinaram um contrato para a produção e apoio logístico aos motores T700-T6E1, fabricados pela General Electric e a ser instalados nos helicópteros NH90 adquiridos pela Itália.

O contrato cobre a produção e suporte a 232 motores correspondentes a 116 aeronaves a adquirir pela Itália.

Os motores T700-T6E1, de 2,000 kw de potência, foram desenvolvidos e produzidos em cooperação entre a GE e a FiatAvio (que é a componente empresarial aeroespacial do Grupo Fiat). A FiatAvio é responsável por uma participação de 50% na concepção e ensaios dos motores protótipos e de certificação e será responsável pela montagem e ensaios dos motores de produção em Itália, nas suas instalações em Brindisi.

A FiatAvio fabricará 60% dos motores destinados à frota italiana e 40% dos motores destinados a outras frotas.

 Voltar 


APUs Honeywell demonstram excelente fiabilidade

A Honeywell anunciou no dia 22 de Junho de 2001, durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, que após três anos de serviço, o seu modelo de APU 131-9B, instalado nas aeronaves Boeing 737-700 da Southwest, demonstrou uma fiabilidade de 100%, tendo acumulado 320,000 horas (num total de 92 unidades) sem necessidade de remoção das aeronaves.

Com cerca de 850 unidades instaladas em todo o mundo, este modelo de APU acumulou 2.2 milhões de horas de operação, mantendo um MTBUR (Mean Time Between Unscheduled Removals) de 20,000 horas de operação.

Esta APU produz um caudal de ar de 154 lb/minuto a 52 psi para o arranque dos motores. Tem acoplado um gerador de 90 kva e pode operar até uma altitude de 12,500 metros. O modelo 131-9 tem uma carteira de encomendas global de 1,250 unidades e apresenta-se sob a forma de três variantes: 131-9B para os Boeing 737; 131-9D para os MD90 e o 131-9A para os Airbus A319, A320 e A321.

 Voltar 


OGMA vai produzir mais 200 aeronaves Pilatus PC-12

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a OGMA e a Pilatus Aircraft Limited assinaram um acordo para o fabrico de mais 200 fuselagens da aeroanave PC-12. Este acordo consiste num aditamento ao primeiro acordo assinado em 1993 e, desde então, a OGMA já fabricou mais de 300 fuselagens daquele tipo.

A aeronave Pilatus PC-12 é um monomotor equipado com um turbopropulsor PT6A.

 Voltar 


OGMA vence concurso internacional para a manutenção de aeronaves holandesas

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a OGMA celebrou com a Marinha holandesa um novo acordo para a manutenção de dez aeronaves de patrulhamento marítimo Lockheed P3. Este acordo resultou dum concurso internacional que a OGMA venceu. Desde 1990 que a OGMA vem reparando este tipo de aeronaves para a Força Aérea Portuguesa, Marinha Holandesa e, mais recentemente, para a Marinha Norueguesa.

 Voltar 


Boeing revela pormenores sobre a motorização do "Sonic Cruiser"

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a Boeing revelou uma maqueta do projecto do "Sonic Cruiser" onde se percebem as suas intenções relativamente à motorização desta aeronave já que se trata dum assunto crítico.

O "Sonic Cruiser" deverá ser equipado, em princípio, com dois motores turbofan de elevado empuxo e com um arrasto mínimo. As entradas de ar do motor assemelham-se às da aeronave F-16 embora inclinadas  para as pontas da asas, apresentando uma conduta em forma de "S" suficientemente afastada da fuselagem por forma a evitar a turbulência associada à camada limite.

 Voltar 


FiatAvio ganha contracto para a montagem do motor F124-GA-200

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a FiatAvio anunciou ter ganho o contracto de montagem do motor F124-GA-200, fabricado pela ITEC (International Turbine Engine Company), que equipará a aeronave de treino avançado Aermacchi 346. A ITEC é uma joint-venture entre a Honeywell e a Aerospace Industrial Development of Taiwan.

Para além da montagem dos motores, a FiatAvio será igualmente responsável pela produção do módulo da turbina de baixa pressão, pela caixa de acessórios e pela tubeira de escape.

  Voltar 


Pratt & Whitney avalia mercado de remotorização com o modelo PW6000

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a P&W anunciou estar a avaliar a possibilidade de oferecer o motor PW6000 (escolhido para equipar o novo Airbus A318 de 100 lugares) para remotorização de aeronaves actualmente motorizadas com CFM-56 (Boeing 737) e JT8D (Boeing 727 e 737 e DC-9). O início dos testes deste motor estão previstos para Janeiro 2002 e a sua entrada em serviço para Novembro 2002. A P&W afirma já ter garantido a motorização de 75% das  aeronaves A318 já encomendas.

  Voltar 


CFMI avalia mercado de remotorização com o modelo CFM56-3

Simultaneamente, durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, a GE em associação com a SNECMA, através da joint-venture CFMI, anunciou estar a estudar igual possibilidade de oferecer a mais recente variante do modelo CFM56-3 para remotorizar aeronaves equipadas com CFM56 mais antigos (Boeing 737-300/-400/-500). Neste âmbito, a CFMI já oferece um kit de modificação do núcleo do motor CFM56-3, no valor de 1,000,000 USD. Esta modificação permite uma redução de 1% no SFC, prolonga a permanência do motor instalado na aeronave, reduz os custos de reparação e garante uma prontidão da aeronave ao nível dos padrões actuais, mais exigentes. Aquele consórcio admite existir um mercado para absorver cerca de 1,000 kits.

  Voltar 


Japão lança produção de novo turbofan para equipar avião de patrulhamento marítimo

Durante o 44º Salão Internacional de Aeronáutica e do Espaço, a decorrer em Le Bourget em Paris, França, o Japan's Technical Research and Development Institute (TRDI) em associação com a IHI, anunciaram estar a produzir um novo motor do tipo turbofan para equipar a nova aeronave militar de patrulhamento marítimo MPX. O novo motor terá uma relação de caudais (BPR) de 8:1 e produzirá um empuxo de 13,000 lb. Cada aeronave será equipada com 4 destes motores. O projecto iniciou-se em 1995 e espera-se que o motor rode pela primeira vez em Agosto proximo. A este projecto juntar-se-ão, numa fase mais avançada, outros fabricantes japoneses como a Kawasaki e a Mitsubishi Heavy Industries. O motor terá a designação de IHI-21.

  Voltar 



 Ler o Livro de Visitas    Assinar o Livro de Visitas    Preencher Inquérito

A opinião dos visitantes    Regressar ao topo desta página

Gestor da web page    HOME    E-mail